terça-feira, 25 de novembro de 2008

Como ficariam os campeonatos com o sistema de medalhas?

Achei essa no Tazio, curioso.

Se adotado desde o início da F-1, o quadro de medalhas, alternativa proposta por Bernie Ecclestone ao atual sistema pontos, teria determinado um campeão diferente em nada menos que 12 temporadas.

Pela proposta do chefão da F-1, o campeão seria aquele que somasse mais vitórias (ou medalhas de ouro) ao longo do campeonato. Se este sistema funcionasse desde sempre, a história das temporadas 1958, 1964, 1967, 1979, 1981, 1982, 1983, 1984, 1986, 1987, 1989 e 2008 teria sido outra.

Neste ano, Hamilton levou o título, mas se o sistema de medalhas estivesse valendo, Felipe Massa teria sido o campeão, pois teve seis vitórias contra apenas cinco de seu rival inglês.

Em outros casos, os grandes beneficiados teriam sido Nigel Mansell e Jim Clark, que teriam conquistado dois campeonatos a mais. Por outro lado, o maior prejudicado seria Nelson Piquet, que não haveria conquistado nenhum de seus três títulos.

Já Alain Prost seria envolvido em cinco casos. Em dois teria perdido os campeonatos, mas em compensação levaria outros três títulos e, com isto, somaria um troféu a mais aos quatro mundiais que conquistou.
O caso mais emblemático envolvendo o francês é a temporada de 1981. Pelo sistema de pontos, Prost foi apenas o quinto colocado, mas teria sido campeão caso o quadro de medalhas vigorasse. Por outro lado, por esse mesmo critério, Keke Rosberg não só teria perdido o título de 1982 como também teria terminado o ano na sexta posição.

2 comentários:

marcelo costa disse...

Não acho legal vai "matar" a estatística de pontos para pilotos! Valoriza o vencedor que fica bom:

1)10
2) 6
3) 5
4) 4
5) 3
6) 2
7) 1

1 ponto para o pole
1 ponto para M. Volta

marcelo costa disse...

O piloto que fizer:

Pole/vitória/M. Volta leva 12 pontos
Pole/vitória leva 11 pontos
Vitória/ M. Volta 11 pontos
Pole/M.Volta 2 pontos(+ a colocação da prova não sendo vitória. Ia ficar interessante e nem precisava dar prêmios em dinheiro! Ia ajudar no corte de custo com essa crise global.